terça-feira, 18 de março de 2014

Colégio com nome de ditador é "rebatizado" em Cascavel

Estudantes homenagearam o estudante Edson Luis [foto: Júlio Carignano]
O Colégio Estadual Presidente Costa e Silva, no Jardim Maria Luiza, em Cascavel, foi ‘rebatizado’ nesta terça-feira (18/03) com o nome de Edson Luis de Lima Souto, estudante assassinado há 46 anos durante os chamados ‘anos de chumbo’. A ação simbólica é alusiva aos 50 anos do golpe que instaurou o regime militar em 1º de abril de 1964 e faz parte dos atos que antecedem a audiência pública da Comissão Estadual da Verdade em Cascavel, que será realizada nos dias 20 e 21. 

Ainda que não tenha validade legal para mudança de nome do colégio, uma vez que para isso é preciso uma legislação ou decreto governamental, o ato foi uma tentativa de reescrever a história, denunciando àqueles que foram agentes de um dos momentos mais tristes da história de nosso país, como explica Elio Ribeiro Junior, presidente da ACES. “Esse é um ato de repúdio contra um ditador fascista que nunca pagou pelos crimes que cometeu e uma homenagem ao Edson Luis, um símbolo da resistência contra a ditadura”, explica Juninho, como é conhecido o novo presidente da entidade secundarista. 

Edson Luis tinha a mesma idade que Juninho, 18, quando foi morto, e assim como o cascavelense, também atuava em uma entidade estudantil municipal. O assassinato do secundarista, em 28 de março de 1968, durante conflito entre estudantes e policiais no restaurante Calabouço, no centro do Rio de Janeiro, foi um dos marcos na luta contra a ditadura militar, causando uma grande comoção pública. O também estudante Benedito Frazão, também foi atingido na ocasião e morreu no hospital.

Após ser morto, Edson Luis teve seu corpo levado por estudantes até a Assembléia Legislativa do RJ e velado à noite. Mais de 50 mil pessoas compareceram ao enterro, entoando gritos de ordem contra o governo e a violência e uma delas se espalhou nas faixas, cartazes e na boca do povo carioca: “Mataram um estudante. Podia ser seu filho!"”. O velório foi cercado pela PM, agentes do DOPS (Departamento de Ordem Política e Social) e militares que provocavam os manifestantes com bombas de gás.

Costa e Silva 

O Marechal Artur da Costa e Silva, militar e político da Arena (Aliança Renovadora Nacional) foi o segundo presidente do regime militar, no período entre 5 de março de 1967 e 31 de agosto de 1969. Seu governo iniciou a fase mais dura do regime ditatorial, à qual o general Emílio Garrastazu Médici, seu sucessor, deu continuidade. Sob o governo Costa e Silva foi promulgado o AI-5, que lhe deu poderes para fechar o Congresso Nacional, cassar políticos e institucionalizar a repressão, seja por meio de censura a órgãos de comunicação ou pela tortura de militantes.

Além do Costa e Silva - no Jardim Maria Luiza - outra escola em Cascavel leva o nome de um ditador, o Colégio Estadual Castelo Branco, no Parque São Paulo, em alusão ao primeiro presidente do regime, o marechal Humberto de Alencar Castelo Branco. 

Segundo levantamento do INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), os 34 presidentes da história do Brasil dão nome a 3.135 escolas do ensino básico na rede pública. Destas, 976 unidades tem nomes de presidentes da ditadura militar (1964 a 1985). 

Bahia

Em fevereiro deste ano, o Governo da Bahia mudou oficialmente o nome do Colégio Estadual Presidente Emílio Garrastazu Médici para Carlos Marighella. A mudança foi motivada após solicitação de alunos, ex-alunos, professores, pais e responsáveis, além da diretoria da unidade. 

O grupo realizou uma votação em novembro de 2013 entre os envolvidos com a instituição e a partir da votação, foi encaminhado um documento oficial para que a mudança fosse efetivada. Durante a votação o nome do militante e ex-deputado constituinte baiano Carlos Marighella teve 406 votos e venceu o do geógrafo Milton Santos, que obteve 128. Houve ainda, 27 votos brancos e 25 nulos.
Ato no colégio estadual Costa e Silva
Junior, Marlon e Dionésio, integrantes da ACE

11 comentários:

  1. Achei legal mesmo não tendo validade legal, mostra que os alunos tem consciência de sua história.

    ResponderExcluir
  2. Patético, muito legal sua camisa da adidas, ao invés de ser revolucionariozinho ajude o colégio de alguma forma

    ResponderExcluir
  3. Patético é alguém criticar uma atitude que deveria ter sido tomada há muito tempo! Vocês que criticam deve ser daqueles que defendem a volta do regime assassino...

    ResponderExcluir
  4. Comunistinhas de luxo.

    ResponderExcluir
  5. esses bota nem estuda no colegio e quer causar tnc deles

    ResponderExcluir
  6. Parabéns pessoal!

    É isso ai, senti orgulho do bairro onde nasci!

    Fascistas, não passarão!

    ResponderExcluir
  7. PATÉTICO???? Castelo Branco e o regime militar fizeram muito mais pelo Brasil do que a merda de TODOS os presidentes já eleitos!!! não ficaram apadrinhando vagabundo com bolsa família e sim trabalharam duro pra tirar o Brasil da merda, só temos a economia que temos graça a eles! A base de TUDO que temos hoje é graça a ELES agora estudem mais seus vermes que acreditam em professor esquerdista saiam do mundinho patético que vivem e estudem!

    ResponderExcluir
  8. Segue algumas obras e feitos do governo seus esquerdistas patéticos!!

    - Criação de 13 milhões de empregos;
    - A Petrobrás aumentou a produção de 75 mil para 750 mil

    Presidente Arthur da Costa e Silva
    15/03/1967 a 31/08/1969
    barris/dia de petróleo;
    - Estruturação das grandes construtoras nacionais;
    - Crescimento do PIB de 14%;
    - Construção de 4 portos e recuperação de outros 20;
    - Criação da Eletrobrás;
    - Implantação do Programa Nuclear;
    - Criação da Nuclebrás e subsidiárias;
    - Criação da Embratel e Telebrás (antes, não havia 'orelhões' nas ruas nem se falava por telefone entre os Estados);
    - Construção das Usinas Angra I e Angra II;
    - Desenvolvimento das Industrias Aeronáutica e Naval (em 1971 o Brasil foi o 2º maior construtor de navios do mundo);
    - Implantação do Pró-álcool em 1976 (em 1982, 95% dos carros no país rodavam a álcool);
    - Construção das maiores hidrelétricas do MUNDO: Tucuruí, Ilha Solteira, Jupiá e Itaipú;
    - Brutal incremento das exportações, que cresceram de 1,5 bilhões de dólares para 37 bilhões; o país ficou menos dependente do café, cujo valor das exportações passou de mais de 60% para menos de 20% do total;
    - Rede de rodovias asfaltadas, que passou de 3 mil para 45 mil km;
    - Redução da inflação galopante com a criação da Correção Monetária, sem controle de preços e sem massacre do funcionalismo público;
    - Fomento e financimento de pesquisa: CNPq, FINEP e CAPES;

    ResponderExcluir
  9. não cabe em apenas um comentario todos os feitos desculpe haha

    Presidente Emílio Garrastazu Médici
    30/10/1969 a 15/04/1974
    - Aumento dos cursos de mestrado e doutorado;
    - INPS, IAPAS, DATAPREV, LBA, FUNABEM;
    - Criação do FUNRURAL - a previdência para os cidadãos do campo;
    - Programa de merenda escolar e alimentação do trabalhador;
    - Criação do FGTS, PIS, PASEP; (**)
    - Criação da EMBRAPA (70 milhões de toneladas de grãos); (**)
    - Duplicação da rodovia Rio-Juiz de Fora;
    - Criação da EBTU;
    - Implementação do Metrô em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife e Fortaleza;
    - Criação da INFRAERO, proporcionando a criação e modernização dos aeroportos brasileiros (Galeão, Guarulhos, Brasília, Confins, Campinas - Viracopos, Salvador, Manaus);
    - Implementação dos Pólos Petroquímicos em São Paulo (Cubatão) e na Bahia (Camaçari);
    - Investimentos na prospecção de petróleo no fundo do mar que redundaram na descoberta da bacia de Campos em 1976;
    - Construção do Porto de Itaquí e do terminal de minério da Ponta da Madeira, na Ilha de S. Luís, no Maranhão;
    - Construção dos maiores estádios, ginásios, conjuntos aquáticos e complexos desportivos em diversas cidades e universidades do país;

    Presidente Ernesto Geisel
    15/03/1974 a 15/03/1979


    - Promulgação do 'Estatuto da Terra', com o início da Reforma Agrária pacífica;
    - Polícia Federal;
    - Código Tributário Nacional;
    - Código de Mineração;
    - Implantação e desenvolvimento da Zona Franca de Manaus;
    - IBDF - Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal;
    - Conselho Nacional de Poluição Ambiental;
    - Reforma do TCU;
    - Estatuto do Magistério Superior;
    - INDA - Instituto de Desenvolvimento Agrário;
    - Criação do Banco Central (DEZ 64);
    - SFH - Sistema Financeiro de Habitação;
    - BNH - Banco Nacional de Habitação; (***)
    - Construção de 4 milhões de moradias;
    - Regulamentação do 13º salário;
    - Banco da Amazônia;
    - SUDAM;
    - Reforma Administrativa, Agrária, Bancária, Eleitoral, Habitacional, Política e Universitária;
    - Ferrovia da soja;
    - Rede Ferroviária ampliada de 3 mil e remodelada para 11 mil Km;

    Pres João Baptista de Oliveira
    Figueiredo -
    15/03/1979 a 15/03/1985
    - Frota mercante de 1 para 4 milhões de TDW;
    - Corredores de exportações de Vitória, Santos, Paranaguá e Rio Grande;
    - Matrículas do ensino superior de 100 mil em 1964 para 1,3 milhões em 1981;
    - Mais de 10 milhões de estudantes nas escolas (que eram realmente escolas);
    - Estabelecimentos de assistência médico sanitária de 6 para 28 mil;
    - Crédito Educativo;
    - Projeto RONDON;
    - MOBRAL;
    - Abertura da Transamazônica com instalação de agrovilas;
    - Asfaltamento da rodovia Belém-Brasília;
    - Construção da usina hidrelétrica de Boa Esperança, no Rio Parnaíba;
    - Construção da Ferrovia do Aço (de Belo Horizonte a Volta Redonda);
    - Construção da Ponte Rio-Niterói;
    - Construção da rodovia Rio-Santos (BR 101);

    ResponderExcluir